Volume
Redes
Sociais
Fundador da ONG Gerando Falcões lança livro "Da favela para o mundo" com prefácio do empresário Jorge Paulo Leman
19/04/2018 - 17h56 em Literatura
Edu Lyra foi selecionado pelo Fórum Econômico Mundial como 1 dos 15 jovens brasileiros que podem mudar o mundo

Nascido numa favela em Poá, na grande São Paulo, Edu Lyra, fundador da rede Gerando Falcões, que tem como foco levar educação para famílias por meio da cultura, do esporte, da qualificação profissional e da geração de renda, acaba de lançar o livro "Da favela para o mundo", Editora Buzz, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo.

Na publicação, que tem prefácio escrito pelo empresário Jorge Paulo Lemann, empreendedor e investidor de empresas como Kraft Heinz e Ambev, o autor conta sua trajetória até o início do desenvolvimento do projeto, em 2011. O valor arrecadado com a venda dos livros será revertido em investimentos na ONG.

"Em minha luta pessoal de superar a pobreza na favela, viver a infância dentro de um barraco, visitar meu pai no presídio, aprendei lições muito valiosas, como criar projetos sem nenhum recurso, desenvolver redes influentes e a me comunicar de forma engajadora. Toda esta história está reunida em meu livro", comenta o autor.

Esta é a segunda publicação de Edu Lyra, que escreveu também o livro "Jovens Falcões" publicado de forma independente por meio de patrocínios feitos por comerciantes da cidade de Poá. "Montei uma equipe de vendas composta por 50 amigos e vendíamos o livro na comunidade por R$ 9,99. Em pouco mais de três meses, comercializamos cerca de cinco mil livros", explica Lyra.

O projeto Gerando Falcões passou a ser tão reconhecido pelo País que chamou a atenção de quatro renomados empresários brasileiros, que decidiram investir na iniciativa com o propósito de expandi-la para outras comunidades de baixa renda.

Carlos Wizard Martins, empresário dono de várias marcas, como Topper, Mundo Verde, Taco Bell Brasil e Aloha; Daniel Castanho, presidente da Ânima, um dos maiores grupos privados de educação do país; Flávio Augusto, fundador da rede de escolas de idioma Wise Up e Orlando City e Jorge Paulo Lemann foram os investidores da primeira etapa de expansão, que busca replicar o modelo operacional de sucesso realizado em Poá e criar a maior rede de ONGs em favelas no Brasil.

O objetivo é abrir nove unidades do projeto nos próximos cinco anos (próprias ou em parceria com ONGs que precisem de apoio financeiro, gestão e metodologia) e formar a rede "Gerando Falcões". Entretanto, o propósito é atrair novos investidores para tornar o projeto ainda maior.

Até o primeiro trimestre do ano, serão iniciadas as atividades para a abertura de duas novas unidades, uma na Favela da Vila Prudente, na cidade de São Paulo, e outra na favela do Vegel, em Maceió, capital de Alagoas. A expansão utiliza processos de negócios tradicionais de franquias, mas com o conceito de rede, focada em gestão de pessoas e líderes. No médio prazo, também serão usadas plataformas digitais de aprendizado, para qualificar líderes de favelas do Brasil inteiro.

Networking

A rede de relacionamentos com empresários renomados teve início há cinco anos quando Edu Lyra foi procurado por acionistas do Itaú, Patrícia e Ricardo Vilella Marino, que, ao estudarem o Gerando Falcões, decidiram fazer um investimento semente – aportes feitos em projetos que estão em fase de desenvolvimento inicial.

A partir deste momento, e com a ajuda destes primeiros apoiadores, o contato com empresários passou a crescer e a se disseminar. "Neste processo, aprendi, com os diversos profissionais que conheci, a levar algo fundamental para o projeto: a gestão, o que certamente contribuiu para estes empresários olhassem a iniciativa como um projeto sério e que realmente é eficaz nos resultados", conclui Edu Lyra.

O Gerando Falcões tem hoje mais de 20 programas em andamento, como aulas de pintura, teatro, percussão, coral, tênis, boxe, futsal para crianças e adolescentes. Além de aulas de logística, vendas, empreendedorismo, inglês e programação para jovens de periferias e favelas. Conta com mais de 40 colaboradores. E é auditada pela KPMG.

Edu Lyra viveu a infância dentro de um barraco, numa favela em Guarulhos, SP. O pai ingressou no crime e foi parar na prisão. A mãe foi o contraponto da história, que o inspirou a sonhar, dizendo: "Filho, não importa de onde você vem, mas, sim, pra onde vai". O suficiente para que Edu se tornasse jornalista, autor do livro Jovens Falcões, um dos roteiristas do filme "Na Quebrada" e empreendedor social. Edu foi selecionado pelo Fórum Econômico Mundial, como 1 dos 15 jovens brasileiros que podem mudar o mundo, fazendo parte do Global Shapers. Saiu na Lista da revista Forbes Brasil entre os 30 jovens mais influentes do País, com menos de 30 anos. Recebeu o prêmio Jovem Empreendedor do ano pelo LIDE. E foi eleito Paulistano Nota 10 pela revista Veja. Além de ter sido escolhido um dos "Rebeldes com Causa", pela grife Reserva.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!