Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Balé da Cidade de São Paulo apresenta ‘Adastra’ e ‘Transe’ em junho no Theatro Municipal
22/06/2022 13:42 em Arte

As apresentações ocorrem entre os dias 22 e 26 de junho, na sala de espetáculos 

 

Crédito: Clarissa Lambert

São Paulo, 13 de junho de 2022 -- A próxima temporada de apresentações do Balé da Cidade de São Paulo trará dois destaques na programação. Entre os dias 22 e 26 de junho, o corpo artístico chega à Sala de Espetáculos do Theatro Municipal de São Paulo para encantar o público com as coreografias impressionantes de Adastra Transe, em uma curta temporada. 

Com coreografia e figurino de Cayetano Soto, Adastra é uma filosofia de vida, um ponto de reflexão, como o percurso a seguir para encontrar a estrela que cada um carrega dentro de si. A apresentação foi feita especificamente para o Balé da Cidade, ou seja, é de suma importância trazer essa remontagem e essa recolocação para o repertório, visto que a apresentação anterior já havia sido um sucesso muito grande de público, por isso o interesse em voltar a apresentá-lo. 

“Esse espetáculo possui uma exigência técnica muito grande para os bailarinos, pois é um balé de difícil execução e, apesar de todos amarem essa dança, eles têm um certo ‘frio na barriga’ bem acentuado pela complexidade na hora de apresentar ao público. Estou muito ansiosa com essa temporada, pois acredito que sejam dois contrapontos fortes do balé, Já que são muito diferentes um do outro, com estéticas opostas e que vão agradar ao público com a beleza apresentada por cada um”, ressalta Cassi Abranches, diretora do Balé da Cidade de São Paulo. 

Já Transe, que tem coreografia do brasileiro Clébio Oliveira, o enredo leva o espectador a um estado de transe em uma jornada híbrida, de homem versus animal, ambientada em uma atmosfera apocalíptica e de celebração à vida em um possível mundo pós-pandêmico. Diversas perguntas serão respondidas durante a performance, como: o que seria o ideal de um mundo perfeito?; o que seria uma aventura de viver?; entre outras. 

“A apresentação é uma festa sem fim, uma utopia metaforizada em uma fábula inventada, com um ritual futurístico de êxtase coletivo. Além disso, a peça celebra a retomada da companhia no pós-pandemia, pois foi um balé encomendado em 2020 e que agora aguarda ansiosamente o retorno ao palco. Chegou a hora de sentir essa sensação de novo com esse balé, que foi dançado apenas uma vez, para que ele possa vigorar e vibrar no palco do Theatro Municipal mais um vez”, completa Cassi. 

As duas apresentações têm classificação indicativa livre, com duração de 58 minutos cada e ingressos entre R$10 e 80 reais. 

Balé da Cidade apresenta “Adastra” e “Transe”

Theatro Municipal

22/06/2022 • 20h

23/06/2022 • 20h

24/06/2022 • 20h

25/06/2022 • 17h

26/06/2022 • 17h 

[Theatro Municipal de São Paulo -- Sala de Espetáculos]

Balé da Cidade de São Paulo

| ADASTRA |

Cayetano Soto, coreografia, desenho de luz e figurinoEzio Bosso, músicaMikiko Arai, assistente de coreografiaCarolina Franco, Roberta Botta, ensaiadorasMadalena Machado, confecção de figurino 

| TRANSE |

Clébio Oliveira, concepção e coreografiaMatresanch, música originalMirella Brandi, desenho de luzJoão Pimenta, figurinoTiça Camargo, visagismoCarolina Franco e Roberta Botta, ensaiadorasNúmero de intérpretes: 17 

Classificação livreDuração total 58 minutosIngressos R$ 10,00 a R$ 80,00 

SOBRE O COMPLEXO THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO

O Theatro Municipal de São Paulo é um equipamento da Prefeitura da Cidade de São Paulo ligado à Secretaria Municipal de Cultura e à Fundação Theatro Municipal de São Paulo. 

O edifício do Theatro Municipal de São Paulo, assinado pelo escritório Ramos de Azevedo em colaboração com os italianos Claudio Rossi e Domiziano Rossi, foi inaugurado em 12 de setembro de 1911. Trata-se de um edifício histórico, patrimônio tombado, intrinsecamente ligado ao aperfeiçoamento da música, da dança e da ópera no Brasil. O Theatro Municipal de São Paulo abrange um importante patrimônio arquitetônico, corpos artísticos permanentes e é vocacionado à ópera, à música sinfônica orquestral e coral, à dança contemporânea e aberto a múltiplas linguagens conectadas com o mundo atual (teatro, cinema, literatura, música contemporânea, moda, música popular, outras linguagens do corpo, dentre outras). Oferece diversidade de programação e busca atrair um público variado. 

Além do edifício do Theatro, o Complexo Theatro Municipal também conta com o edifício da Praça das Artes, concebido para ser sede dos Corpos Artísticos e da Escola de Dança e da Escola Municipal de Música de São Paulo. 

Sua concepção teve como premissa desenhar uma área que abraçasse o antigo prédio tombado do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo e que constituísse um edifício moderno e uma praça aberta ao público que circula na área. 

Inaugurado em dezembro de 2012 em uma área de 29 mil m², o projeto vencedor dos prêmios APCA e ICON AWARDS é resultado da parceria do arquiteto Marcos Cartum (Núcleo de Projetos de Equipamentos Culturais da Secretaria da Cultura) com o escritório paulistano Brasil Arquitetura, de Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz. 

SOBRE A SUSTENIDOS

Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Sustenidos é a organização responsável pela gestão do Conservatório Dramático-Musical dr. Carlos de Campos - Tatuí e do Complexo Theatro Municipal. Além do Governo do Estado de São Paulo e da Prefeitura da Cidade de São Paulo, a Sustenidos conta com o apoio de organizações da sociedade civil, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Sustenidos têm suporte fiscal da Lei Federal de Incentivo à Cultura e do PROAC. Pessoas físicas também podem ajudar. Em 2021, a Sustenidos recebeu a Certificação A+do Selo Doar, de Gestão e Transparência. Saiba como contribuir neste link. 

Patrocinadores e apoiadores do Theatro Municipal de São Paulo -- Sustenidos: Bradesco.

Patrocinadores Institucionais da Sustenidos: Microsoft e VISA.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!